Síndrome de Down na História – parte 1

por | 25 ago, 2012 | Turismo Adaptado | 0 Comentários

Você sabe dizer quais são os primeiros registros da síndrome de Down na História? Já parou para pensar em como a trissomia foi retratada ao longo dos séculos ? Esta semana, o Movimento Down publica a primeira parte de uma série de três matérias sobre o assunto.

Confira possíveis provas de que desde 5200 anos antes de Cristo existem pessoas com síndrome de Down no mundo.

 1) 5200 a.C (antes de Cristo) – Restos de esqueleto – Ilha de Santa Rosa, Califórnia, Estados Unidos

A prova mais antiga são os restos de um esqueleto de uma mulher encontrado num cemitério indígena americano na Ilha de Santa Rosa, na California, Estados Unidos. Não temos imagens do achado, mas pelo crânio pôde-se notar que ela tinha a face achatada, olhos afastados, dentes pequenos e que seus ossos também eram pequenos. Estima-se que tenha vivido por volta do ano 5200 a.C (antes de Cristo).

2)5000 a.C (antes de Cristo) – Pequena escultura – Ídolo neolítico – Thessali Oeste, Grécia

Um ídolo grego, de barro, é a representação mais antiga de que se tem notícia. Os olhos são puxados, o nariz chato e a face arredondada. A escultura encontra-se no Museu de Arqueologia Volos, na cidade de Thelassy, na Grécia.

3)Entre 1500 a.C e 300 d.C – Pequenas esculturas Olmecas – Meso América

Existem várias estatuetas dos Olmecas , ocupantes da região que hoje corresponde ao México, que sugerem que as pessoas com síndrome de Down eram veneradas por esse povo. Alguns estudiosos afirmam que os Olmecas achavam que os nascidos com síndrome de Down eram o cruzamento de mulheres com o jaguar, a mais alta de suas entidades,  e apontam para algumas estatuetas com aparência de pessoas com síndrome de Down que teriam garras de jaguar. Para sustentar essa hipótese, eles citam uma pintura em uma caverna em Oxtotitlán, na cidade de Chilapa, no México. A imagem mostra uma mulher tendo relações com um jaguar. Segundo esses autores,  é possível que filhos de esposas de sacerdotes, ou mesmo  sacerdotisas , em geral mulheres de mais idade, fossem consideradas divindades. E como é sabido hoje que a idade avançada da mãe aumenta a probabilidade do nascimento de bebês com sindrome de Down, isso explicaria a interpretação dos Olmecas. Veja abaixo algumas figuras representadas.

Estatuetas que podem ser consideradas como de bebês ou crianças com síndrome de Down

Estatueta de cerâmica

Jaguar Olmeca

Máscara Olmeca de quartzo

“O Acrobata” – estatueta de barro

Estatueta de jade em pé segurando “bebê-jaguar”

Pintura na caverna de Oxtotitlán, perto de Chilapa, México, de uma mulher tendo relações com um jaguar

Nossa viagem pelos registros da síndrome de Down ao longo da História continua na próxima semana, quando publicaremos a segunda parte da série especial. Fique de olho!

Fonte: Movimento Down

Compartilhe

Use os ícones flutuantes na borda lateral esquerda desta página

Siga-nos!

[et_social_follow icon_style="flip" icon_shape="circle" icons_location="top" col_number="auto" outer_color="dark" network_names="true"]

Envolva-se em nosso conteúdo, seus comentários são bem-vindos!

7

0 comentários

Enviar um comentário

Artigos relacionados

" });