Dica de viagem acessível para pessoas com deficiência física

Man climbs CN Tower steps in wheelchair

Escrito por Ricardo Shimosakai

6 de dezembro de 2023

Dica de viagem acessível. Viajar com acessibilidade ainda não é algo comum, então temos que tomar alguns cuidados para que a viagem não seja algo frustrante. Eu já passei por vários problemas relacionado à viagens, e até um mais sério, onde fui “proibido” de viajar pela operadora. Minha revolta foi tanta que entrei com um processo e ganhei, mas não era isso que eu queria, preferia muito mais ter sido aceito sem problemas.

Caso você vá viajar para o exterior, aconselho a buscar pelas agências de viagens acessíveis, elas são mais comuns em outros países. Assim você não tem trabalho na organização de sua viagem, e eles devem conhecer bem melhor as ofertas de acessibilidade nos locais e serviços turísticos. Mas tenha certeza de que a agência realmente conheça sobre o assunto, e tenha experiência.

Mas caso você quer organizar sua própria viagem, ou não tenha opções de agências de viagens acessíveis, como infelizmente acontece no Brasil, vou passar algumas dicas de viagem acessível para você seguir

Dica de viagem acessível

A primeira dica de viagem acessível é em relação ao transporte. Pode ser um transporte aéreo, ferroviário, marítimo e terrestre. Se for viajar de avião, as companhias aéreas e aeroportos devem dar todo o suporte para embarque e desembarque. Quem utiliza cadeira de rodas, ela é despachada como bagagem, depois que você se transferir para a poltrona do avião, mas não é cobrado nenhuma taxa.

O problema em voos nacionais, é que o banheiro é minúsculo e inacessível, então a dica é ir ao banheiro antes do embarque, não tomar muito líquido durante o voo, utilizar remédios que seguram a urina na bexiga ou utilizar fraldas. Caso
Em voos internacionais já é possível utilizar o banheiro, então você deve pedir ajuda para a tripulação.

Para fazer a reserva em um hotel com um quarto acessível, a dica de viagem acessível é entrar em contato diretamente com o hotel para perguntar a respeito da acessibilidade nele. Muitas vezes, os hotéis colocam no site que tem acessibilidade, mas na verdade, nem eles sabem direito o que é isso. Então descreva com detalhes o que você precisa, por exemplo, se necessita de uma cadeira de banho, descreva como ela é, e até mande uma foto de referência para ficar bem claro. E por falar em cadeira de banho, os hotéis são obrigados a fornecê-la mediante solicitação.

A terceira dica de viagem acessível é em relação aos passeios. Os atrativos turísticos podem ser muito variados, desde museus, parques, teatros, enfim, uma série de opções. Mas o importante é fazer algo parecido com a dica dos hotéis, que é entrar em contato diretamente com o local e perguntar da acessibilidade. É trabalhoso, mas muitas coisas não são divulgadas nos sites. Eu já visitei vários lugares que tinham acessibilidade, mas não aera informada em nenhum lugar. Dependendo do local, a acessibilidade pode ser parcial, mas mesmo assim pode valer a pena. Por exemplo, eu visitei o Taj Mahal, mas não consegui entrar nele, mas a maior beleza era ver de fora, então valeu muito à pena.

Uma dica de viagem acessível bastante importante é pesquisar na internet. Pode ser uma ótima fonte, desde que pesquisada com cuidado. É possível encontrar pessoas com o mesmo tipo de deficiência que você e que já visitou o local, ou mora no destino. No meu perfil do instagram tem bastante dica, assim como no canal do YouTube e nos artigos do blog. Preste atenção nas fotos e vídeos, pois elas podem passar muita informação, e te dará certeza de que existe acessibilidade e como ela é.

Esta dica de viagem acessível pode ajudar a economizar tempo e dinheiro. Geralmente nos locais existem atendimento prioritário, inclusive isso é obrigatório aqui no Brasil. Isso ajuda muito a economizar tempo, sem ter que ficar em longas filas, então aproveite. Na questão dos ingressos, não há obrigação de gratuidade para pessoas com deficiência, e a meia entrada só é obrigatória, quando a pessoa tem baixa renda. Mas muitos lugares oferecem meia entrada e gratuidade para pessoas com deficiência, a até para seu acompanhante, então pesquise essas ofertas.

Eu tenho mais de 20 anos de experiência em viagens como cadeirante, e já viajei para diversos países em diferentes tipos de locais e passei pelas mais diversas dificuldades. Tudo isso me deu um conhecimento baseado na prática muito grande, da acessibilidade e inclusão no geral. Também conheci e busquei soluções inovadoras, e isso eu aplico em minha consultoria em acessibilidade, por isso ela é muito funcional.

Registro em fotos e vídeos todos os lugares que vou e experiências que passo, e isso vira material de conteúdo em meus cursos, palestras e aulas. As experiências são revertidas em treinamento, então como pode perceber, tudo é bastante prático, baseado em experiência reais, minhas e de diversos outros colegas que conheci ao longo dos anos e dos milhares de lugares que conheci. Abaixo uma live coordenada por Joice Laki, onde falamos bastante sobre viagens acessíveis.

 

Compartilhe acessibilidade

Ajude outras pessoas a se manterem atualizadas com nosso conteúdo voltado para a acessibilidade

Curso Online
Comprar Acervo Digital

Você pode gostar……

Seus comentários são bem-vindos!

0 comentários

Enviar um comentário

" });